sábado, 30 de março de 2019

Ministra do TST recebe cidadania pessoense em sessão solene no TRT-PB


Por Feliphe Rojas

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) concedeu o Título de Cidadania Pessoense à ministra do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Delaíde Alves Miranda Arantes. A honraria foi proposta pelo vereador Humberto Pontes (Avante), e entregue em sessão solene, na manhã desta sexta-feira (29), no auditório do Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (TRT-PB), onde a magistrada participou da abertura do Abril Verde Paraíba 2019 evento sobre segurança do trabalho.
Humberto comentou que, desde que assumiu seu mandato na CMJP, sempre se preocupou em levar à população a importância do “Abril Verde”, iniciativa que dedica o mês às discussões, conscientização e prospecção de políticas públicas referentes à segurança do trabalho e das doenças ocupacionais.

“A ministra é coordenadora nacional do ‘Programa Trabalho Seguro’. Ela tem uma atuação direcionada a esta bandeira, que é bastante defendida pelo nosso mandato, e é uma liderança nacional totalmente envolvida nesse tipo de ação. Então, nada mais justo do que o reconhecimento unânime dos vereadores de João Pessoa desse trabalho, que deságua na vida de cada um dos trabalhadores brasileiros, inclusive os pessoenses”, comentou Humberto Pontes.

Com 66 anos, a mais nova cidadã pessoense nasceu em Pontalina, cidade do interior de Goiás, em 1º de março. Atuou como doméstica, vendedora em loja automotiva e advogou por 30 anos. “A sensação é de que está havendo um coroamento do trabalho que fiz durante toda minha vida, pensando no coletivo, algo que tem bastante em comum com a política, que é uma representação do povo. Estou lisonjeada. Fico muito feliz e agradecida a todo o povo de João Pessoa e aos 27 vereadores, representantes dessa população”, agradeceu a ministra.

O recado que a magistrada deixou, dedicado principalmente às causas feministas, foi o de que as mulheres não esqueçam da tortura que o preconceito causa, diariamente, nas mais simples situações. Ela pediu para que homens e mulheres lutem contra tais brutalidades.

“Não podemos esquecer que somos vítimas, todo dia, de algo que acontece naturalmente, nas mínimas e mais sutis atitudes. A legislação da Organização Internacional do Trabalho garante, desde 1951, antes do meu nascimento, a mesma remuneração entre homens e mulheres para igual trabalho. Até hoje, isso é algo que não é efetivado. Essa igualdade é garantida na Constituição Federal, no Código Civil de 2012, e em diversas normas internacionais”, informou, Delaíde Alves Miranda, chamando a sociedade para fazer valer a justiça, também, nas relações de trabalho.

Em 2011, Delaíde foi indicada em lista sêxtupla pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para ocupar uma vaga de ministra do TST, tendo seu nome votado em lista tríplice pelos membros do tribunal e, por fim, sendo escolhida pela então presidenta do Brasil, Dilma Rousseff.


Justiça reconhece direito a adicional de insalubridade em exposição ao sol


O trabalho de carpintaria na construção de um resort próximo a lagoa do Manso (129km de Cuiabá) mantinha um profissional exposto ao sol durante toda a sua jornada.

Como a exposição ao calor ultrapassou os limites de tolerância estabelecidos em norma de segurança no trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT/MT) determinou o pagamento de adicional de insalubridade.

Como ‘carpinteiro telhador’, ele fazia a cobertura dos bangalôs do empreendimento. O trabalho a céu aberto o deixava exposto diariamente a agentes nocivos à saúde, como poeira, cimento e radiação solar, tudo sem a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados.

O perito designado para o caso concluiu que a atividade desenvolvida possuía agentes insalubres em grau médio, por exposição ao calor do sol acima do limite permitido pela Norma Regulamentadora 15, que trata de atividades e operações insalubres.

Com base no laudo do perito, a juíza substituta da 6ª Vara do Trabalho de Cuiabá, Márcia Pereira, condenou a empresa a pagar o adicional de insalubridade e reflexos e compensação por danos morais. A empresa recorreu da decisão, mas a 2ª Turma do TRT/MT manteve a condenação no percentual de 20%.

Conforme o relator do processo no Tribunal, desembargador Osmair Couto, o entendimento do Tribunal Superior do Trabalho (TST) é no sentido de que o trabalho a céu aberto, com exposição a calor excessivo, confere ao trabalhador o direito ao adicional de insalubridade no caso de exposição acima dos limites de tolerância. “Constatado por meio de perícia técnica que o trabalhador estava exposto ao agente físico calor superior aos limites de tolerância para a atividade desempenhada, o adicional de insalubridade é devido”.

A orientação jurisprudencial 173 do TST estabelece que tem direito ao adicional de insalubridade o trabalhador que exerce atividade exposto ao calor acima dos limites de tolerância, inclusive em ambiente externo com carga solar.

TRT- 23ª Região - PJe 0001334-17.2015.5.23.0022

Ministra do TST fará abertura da campanha Abril Verde na Paraíba

A ministra do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Delaíde Alves Miranda Arantes, estará em João Pessoa na sexta-feira (29), às 9h, para a abertura da campanha Abril Verde na Paraíba. A ministra é a coordenadora do Comitê Gestor Nacional do Programa Trabalho Seguro, do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e TST. Na Paraíba, os gestores são os juízes Adriano Dantas e André Wilson Avellar de Aquino. A solenidade acontecerá na sede do TRT.

Nesta segunda-feira (18) o Grupo de Trabalho Interinstitucional (Getrin), formado a partir de parceria entre o Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região, entidades governamentais e de sociedade civil e empresas, lançou edital que vai resultar na elaboração do plano de ação da campanha para ser desenvolvido durante o mês de abril. Na abertura oficial da campanha será divulgada a programação completa das atividades.


E d i t a l para adesão da campanha Abril Verde Paraíba

ABRIL VERDE – 2019

O Grupo de Trabalho Interinstitucional – GETRIN da 13ª Região, formado a partir de parceria entre o Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região, entidades governamentais e de sociedade civil e empresas, torna pública a convocatória para a realização da campanha “ABRIL VERDE” de 2019 na Paraíba.

As entidades interessadas em participar da campanha deverão encaminhar requerimento para o e-mail jap@trt13.jus.br, informando a razão social, o número de inscrição no CNPJ e o plano de ação da campanha, que deverá contemplar uma palestra educativa a ser ministrada pelos membros do GETRIN e, pelo menos, uma ação de divulgação da campanha, a exemplo de: iluminação da fachada de verde, realização de postagens sobre a campanha nas redes sociais com a respectiva hashtag (#chegadeacidentes) ou distribuição de laços verdes.

A abertura oficial da campanha ocorrerá no dia 29 de março de 2019, a partir das 9h, na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 13a Região (Av. Corálio Soares de Oliveira, S/N, Centro - João Pessoa/PB - próximo à Praça da Independência).

Na ocasião, será divulgada a programação completa das atividades previstas para o mês de abril, firmados os termos de adesão e entregues os certificados às entidades parceiras que apresentarem requerimento até o dia 25 de março do corrente ano.

O evento de abertura contará com palestra da Ministra do Tribunal Superior do Trabalho Delaíde Alves Miranda Arantes, coordenadora do Comitê Gestor Nacional do Programa Trabalho Seguro.

As entidades que não puderem comparecer ao evento de abertura e as que apresentarem requerimento depois do dia 25 de março receberão o certificado posteriormente, tão logo formalizado o termo de adesão à campanha.

João Pessoa, 18 de março de 2019.

ADRIANO MESQUITA DANTAS

Coordenador do GETRIN 13

ANDRÉ WILSON AVELLAR DE AQUINO

quarta-feira, 27 de março de 2019

homenagem a Paraibana Abimadabe Vieira,


Abimadabe Vieira, homenageada com a Medalha "SENTINELA DA PAZ", outorgada pela Associação dos Boinas Azuis da ONU pelos relevantes serviços prestados ao Exército Brasileiro e à Sociedade Paraibana. A cerimônia no 15BIMtz.
Abimadabe Vieira - Observador Certificado Observatório Nacional de Segurança Viária.


terça-feira, 26 de março de 2019

Onyx encomenda extinção de conselhos participativos de ministérios



Por Ana Carolina Amaral

Conselhos, comitês e grupos de trabalho que permitem a participação da sociedade civil na formulação e gestão de políticas públicas podem estar com os dias contados. Um ofício encaminhado pela Casa Civil ao ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, solicita a “análise, extinção, adequação ou fusão” de uma lista de 23 colegiados e dá até a próxima quinta-feira (28) como prazo para apresentação de resultados.

Questionado pelo blog se a medida se aplica a outras pastas, o Ministério da Casa Civil respondeu por meio de nota que a decisão se estende para todo o governo federal. O mesmo pedido foi enviado a 19 pastas (ficando de fora apenas a Advocacia Geral da União e o Banco Central).

O blog teve acesso ao ofício assinado por Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil, e encaminhado ao Ministério do Meio Ambiente. Ele pede “como regra geral” a extinção de todos os órgãos colegiados que não tenham se reunido nos últimos 30 dias e a avaliação para possível extinção de outros que, mesmo ativos, não sejam necessários para a condução de sua temática.

Segundo o anexo do ofício, 21 dos 23 órgãos ambientais listados estão ativos e apenas dois estão paralisados – o Planafe e o grupo de trabalho de responsabilização ambiental.

Caso o ministério decida pela manutenção de algum dos conselhos, o ofício pede uma justificativa que explique a necessidade do órgão; sua efetividade, com relatório de reuniões e resultados apresentados desde julho de 2016; as expectativas de resultados, com cronograma de reuniões, produtos e responsáveis e, ainda, uma avaliação sobre a adequação à Medida Provisória 870, que reorganizou os ministérios no primeiro dia do governo Bolsonaro.

O ofício justifica que a medida deve diminuir a burocracia da administração pública. A nota da Casa Civil explica que o pedido aos ministérios é para revisão do “alto volume de comissões, comitês e assemelhados” e para que “façam gestão para melhoria de eficiência das atividades desempenhadas pelo Governo Federal”.

Especialistas ouvidos pelo blog sob condição de anonimato alertam que a medida não garantiria processos mais ágeis, pois o governo precisaria absorver as competências dos conselhos extintos, criando processos internos de tomada de decisão.

Eles também alertam que essa alternativa perderia a diversidade de pontos de vista dos vários setores da sociedade que compõem os órgãos colegiados.

A lista dos 23 órgãos ambientais ameaçados de extinção inclui o Conama, Conselho Nacional do Meio Ambiente, que na semana passada teve reunião hostil na estreia da relação com o novo ministro.

Pelo menos dois órgãos na mira do governo ajudam a estabelecer diretrizes e fiscalizar a destinação de verbas usadas nas políticas públicas, como a Conaredd+, comissão que gere o Fundo Amazônia, e o Comitê Gestor do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (FNMC).

O FNMC, o Conama e o Conselho de Gestão do Patrimônio Genético foram criados por lei e, portanto, teriam que ter sua extinção aprovada pelo Congresso.

Também entram na lista de conselhos ameaçados de extinção o PPCDAm e PPCerrado, comissões que apóiam o planejamento para prevenção e controle do desmatamento na Amazônia e no Cerrado; a Conaveg, criada em 2017 para apoiar a restauração de 12 milhões de hectares de floresta nativa; o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Fórum Brasileiro de Mudança do Clima, órgão misto que no ano passado elaborou estratégias para o cumprimento do Acordo de Paris.

Desde o final do ano passado, entidades que compõem o Fórum Brasileiro de Mudança do Clima já vinham preparando alternativas para continuar seus trabalhos caso não contassem com o engajamento do governo Bolsonaro.

Para o próximo mês, elas preparam um evento com governadores de sete estados – Amazonas, Pará, Espírito Santo, São Paulo, Paraná, Distrito Federal e Rio Grande do Sul – em uma estratégia parecida à adotada pelos governos locais nos Estados Unidos diante da animosidade de Trump com as políticas climáticas.

Os outros órgãos ambientais na lista de Onyx são: Comitê Gestor do Programa Bolsa Verde, Comitê Gestor do Fundo Nacional de Repartição de Benefícios, o CIF (Comitê Interfederativo resultado do Termo e Ajuste e Conduta, firmado entre a União, o Estado do Espírito Santo e a Samarco Mineral, em decorrência do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana/MG), o Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis, a Comissão interministerial de Mudança Global do Clima, o Comitê de Integração de Políticas Ambientais, o Comitê Orientador do Fundo Amazônia, a Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos do Conselho Nacional do Meio Ambiente, o Grupo Executivo sobre Mudança do Clima, o Grupo de Trabalho Temático de Monitoramento do Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima, o Grupo Gestor das Ações de Apoio à Comercialização de Produtos Extrativos e o Comitê de Gestão e Avaliação de Respostas à Contaminação Ambiental no Município de Barcarena.

segunda-feira, 25 de março de 2019

NR 35 Para Instrutores e Especialistas (trabalhadores e supervisores)

Local Sinduscon Rua Professor Álvaro Carvalho, 428, Tambauzinho
João Pessoa, PB
Data 22/03/19
Horário 13:30

Vamos discutir as responsabilidades do supervisor e do trabalhador no planejamento, organização e execução do trabalho em altura.

Precisamos garantir treinamento que gerem produtividade e segurança em altura, pois como fornecedores de segurança, precisamos fornecer qualidade e autonomia e não bloqueios e dependência.

Venha confrontar sua forma de interpretação da NR-35 e ganhar proficiência para a sua atividade em altura.



Palestrante: Marcos Amazonas.
- Supervisor de trabalhos em altura da empresa Conquista.
- Ex-Gerente Técnico da Honeywell.
- Ex-Consultor da Altiseg.
- Técnico de segurança do trabalho.
- Tecnólogo em gestão de RH.
- Pós-Graduado em Psicologia Organizacional.
- Coordenador da Comissão de Estudos de Equipamentos Auxiliares Para o trabalho em Altura da normas ABNT CB – 32
- Idealizador do 1ª Simpósio do Anexo II (Dispositivos de Ancoragem da NR 35)
- Desenvolvedor de conteúdo e disseminador de conhecimento com participação em eventos e instituições como a FISP, Animaseg, Fundacentro, Revista Proteção, etc.

Realização: Ranger SMS e Conquista Professional

Mais informações e inscrição no link

quarta-feira, 20 de março de 2019

Observatório de SST inovadora ferramenta de gestão


Este Observatório foi desenvolvido e é mantido pelo Ministério Público do Trabalho em cooperação com a Organização Internacional do Trabalho no âmbito do fórum Smartlab de Trabalho Decente. Além disso, foi concebido consoante parâmetros científicos da pesquisa “Acidente de Trabalho: da Análise Sócio Técnica à Construção Social de Mudanças”, da Faculdade de Saúde Pública da USP (com o apoio da FAPESP) em cooperação com o MPT.

A inovadora ferramenta de gestão do conhecimento e de promoção do trabalho decente tem grande potencial para informar políticas públicas de prevenção de acidentes e doenças no trabalho - de modo que estas passem cada vez mais a ser orientadas por dados e evidências - e para promover o desencadeamento, o monitoramento e a avaliação de iniciativas de prevenção.

O Observatório facilita o acesso a estatísticas que antes se encontravam perdidas em bancos de dados governamentais ou em anuários pouco inteligíveis, o que dificultava a pesquisa sobre o assunto e sua compreensão. Entre as visões apresentadas, destacam-se indicadores de incidência, número de notificações de acidentes (CATs), gastos previdenciários acumulados, dias perdidos de trabalho, mortes acidentárias, localização geográfica, ramos de atividade e perfil das vítimas. Com isso, espera-se que as informações qualificadas geradas pelo Observatório informem o desenvolvimento de novas iniciativas e aumentem a eficiência e a efetividades de ações hoje existentes em governos, ONGs, instituições do setor privado e na academia, por meio da produção e disseminação de conhecimento científico.

ACESSO 

Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho 2019


Segurança e saúde e o futuro do trabalho - 28 de abril de 2019

Inspirado no aniversário do centenário da OIT e nas discussões sobre o futuro do trabalho, o Dia Mundial deste ano tenta fazer um balanço de 100 anos de trabalho na melhoria da segurança e saúde ocupacional e olha para o futuro para continuar esses esforços através de grandes mudanças como a tecnologia, demografia, desenvolvimento sustentável, incluindo mudanças climáticas e mudanças na organização do trabalho.
O Dia Mundial do Trabalho, em 28 de abril de 2019, será apenas o início de eventos e atividades em todo o mundo para continuar em todo o restante do mundo.

Inspired by the ILO centenary anniversary and discussions on the future of work, the world day this year attempts to take stock of a 100 years of work in improving occupational safety and health and looks to the future for continuing these efforts through major changes such as technology, demographics, sustainable development including climate change and changes in work organization.

The official World Day on 28 April 2019 will only be the beginning of worldwide events and activities to continue throughout the rest of.

Safety and health and the future of work - 28 April 2019

World Day for Safety and Health at Work 2019

segunda-feira, 18 de março de 2019

AMATRA debate sobre espaços da mulher no judiciário


Por mais espaços de comando ocupados por mulheres no sistema de justiça. Essa foi a tônica do debate realizado pela Amatra 13 na manhã dessa sexta-feira, 15, no Fórum Maximiano de Figueiredo. O diálogo sobre “Ser mulher: o desafio da inclusão social” reuniu mulheres juristas e de outras profissões, como também alguns homens advogados e juízes para um debate sobre as dificuldades que as mulheres enfrentam no acúmulo de responsabilidades. É a chamada “carga mental”, enfatizada na palestra da juíza do Trabalho Daniela Lustoza Chaves, do Rio Grande do Norte.

O encontro foi aberto pelo presidente da Amatra 13, Marcelo Carniato, e conduzido pelas juízas Daniela Lustoza e Nayara Queiroz Mota de Sousa (mediadora e vice-presidente da entidade), além da procuradora do Trabalho Andressa Lucena Ribeiro Coutinho.

“Há três etapas para que esses espaços sejam conquistados: despertar, compreender e agir. Primeiro é preciso despertar para esse problema; depois, compreender que todos formos forjados nua sociedade patriarcal e é preciso entender as dificuldades dos homens em enxergar que existe um problema a ser enfrentado. Por último, é preciso agir, é preciso que façamos uma ação política no sentido da ocupação desses espaços”, comentou a juíza.

A procuradora Andressa Coutinho falou da necessidade de sororidade para apoiar as mulheres em suas várias dificuldades e despertar nelas a conscientização da necessidade de busca pela igualdade na sociedade.

Seguiu-se um intenso debate com várias participantes, entre elas a promotora de Justiça da Defesa da Mulher, Rosane Araújo; a juíza Lílian Leal, da comissão Amatra Mulheres e diretora de Direitos Humanos da entidade; a advogada Francisca Leite, da Rede de Mulheres Advogadas pela Sororidade (OAB); a coordenadora nacional e estadual dos Quilombolas Rurais, Geilza Paixão, entre outros.

Ao abrir o debate, o presidente da Amatra explicou que a atuação da entidade neste mês das mulheres está sendo muito mais política do que festiva. “Inclusive nossas diretoras estão empenhadas em levar sugestões ao TRT para que possamos chegar a uma igualdade de oportunidades”, disse, acrescentando que a Amatra 13 está empenhada na implementação da resolução do CNJ que incentiva a participação das mulheres nas instituições do Poder Judiciário.

O diretor do Fórum Trabalhista, Paulo Henrique Tavares da Silva, reconheceu que já houve importantes avanços na participação da mulher no mercado de trabalho e na magistratura, embora ainda haja muito a ser conquistado. Ele lamentou que ainda persistam a intolerância, a misoginia e a violência contra as mulheres.

Entre os vários participantes, esteve presente, ainda, o filósofo italiano Alberto Baal, integrante da Associação de Apoio aos Assentamentos e Comunidades Afrodescendentes, onde coordena vários projetos que desenvolvem atividades culturais com crianças, adolescentes e jovens das comunidades quilombolas.

Carniato destacou, ainda, a parceria com a São Braz, que forneceu café com biscoitos para os participantes do evento.



Registro fotográfico






SEGURANÇA DO TRABALHO na TV = Proteção Respiratória no Trabalho

INSCRIÇÃO - II FÓRUM DE DIREITO DO TRABALHO: Saúde e Segurança do Trabalho.


APRESENTAÇÃO

O II Fórum de Direito do Trabalho: Saúde e Segurança do Trabalho, tem o propósito de reunir pessoas de múltiplas inserções profissionais e sociais para discutir temas referentes ao mundo do trabalho e os impactos sobre a saúde e segurança do trabalho.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu o dia 28 de abril como o Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho, em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. No Brasil, a Lei 11.121/2005 instituiu o mesmo dia como o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

OBJETIVO

Visa fortalecer a integração da classe e abre oportunidade para os congressistas que atuam nessa área a buscarem uma nova atualização legislativa e técnica.

A segurança do trabalho é uma medida protetiva, destinada a melhora dos ambientes do trabalho. E a saúde do trabalho visa mais qualidade de vida, gerando bem estar. Assim, a portaria 3.214/78 – Ministério do Trabalho e Emprego com base na Constituição Federal de 1988, ratificou a importância da prevenção de acidentes e a redução dos riscos inerentes ao trabalho.

PÚBLICO ALVO

O público alvo são profissionais, militantes, servidores, sindicatos, técnicos em segurança do trabalho, estudantes das áreas do direito, administração, da saúde, da contabilidade e da engenharia.

Nesse cenário, entende-se que é de suma importância a realização deste evento, para que se possa discutir assuntos de alta relevância jurídica e social.

DO CERTIFICADO

Todos os participantes receberão certificado de 25 horas aula, os que tiverem, no mínimo, 70% de frequência.

DOS ARTIGOS CIENTÍFICOS

Todos os participantes terão a oportunidade de inscrever seus artigos para apresentação neste evento, o edital para submissão dos trabalhos está no link: http://bit.ly/editalforumdireitodotrabalho.

De acordo com o Título IV, art. 23 do nosso Edital, os 10 (dez) melhores artigos científicos a serem escolhidos pelos membros da coordenação cientifica do evento, serão publicados em um E-BOOK pela EDUEPB/UFPB.

O conhecimento é sempre válido, e quando bem elaborado tem que ser compartilhado.

Com apoio institucional do Centro Acadêmico Sobral Pinto - UEPB, da Nova Escola de Advocacia - ESA/PB e da Ordem dos Advogados da Paraíba - OAB/PB.

Inscrições no link: 

terça-feira, 12 de março de 2019

Morte do Policial civil João Roberto, Investigador Criminal da Paraíba


Assistimos ao vídeo produzido pelo policial civil e foi devastador.

Ver o colega expor várias situações que de alguma forma o atingiram como profissional e como pessoa, a ponto de tirar a esperança dessa vida.

É triste conviver com tanta dor, e a Aspol sente muito por tudo isso, porque já estávamos acompanhando o caso, inclusive teve apoio do núcleo de saúde, através de Susi, Dorinha e toda equipe daquele núcleo que infelizmente também tem um grupo reduzido para atender todo o Estado.

Não é de hoje que fazemos o alerta para essas situações relatadas no vídeo, contudo, continuamos sem obter a devida atenção por parte de nossos gestores, que continuam fazendo convocações abusivas e criando leis que obrigam o policial a vender a folga, que fazem policiais trabalhem em especializadas sem receber para isso, e por aí vai.

Não é o primeiro colega que sofre com perseguições, com frustrações, insatisfações no trabalho, e enquanto os gestores não tiverem sensibilidade para essa situação, esse não será o último fatal incidente.

A ASPOL em breve soltará uma Nota, e vamos organizar ônibus saindo de CG para o velório, bem como uma grande passeata ainda essa semana, cujas informações em breve serão repassadas, e vai precisar de cada policial e familiar para novamente mostrarmos nossa revolta.

E esperamos que os gestores concedam o mesmo luto que o TRE deu a uma servidora que se suicidou recentemente.

Esperamos que a nova gestão trate esses casos com mais sensibilidade.

Aspol/PB

Vazamento de amônia atinge frigorífico da Frimesa em Medianeira

O vazamento de amônia foi registrado na manhã desta segunda-feira (11) no frigorífico Frimesa localizado na rua Bahia em Medianeira, oeste do Paraná.

De acordo com o relato de funcionários, algumas pessoas passaram mal e o frigorífico foi evacuado. Os empregados relataram um cheiro forte já no início da manhã de hoje.



Trabalhadores registraram o momento da evacuação. O Corpo de Bombeiros não foi acionado para socorrer vítimas.

De acordo com a empresa, o vazamento ocorreu por volta de 10 horas da manhã no regulador de pressão no setor de expedição.

A Brigada de Incêndio e o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança fez a evacuação do local. Ainda segundo a empresa, ninguém se feriu.

O vazamento foi contido após uma hora o acidente, todo o ambiente é monitorado, controlado e foi liberado para o retorno dos trabalhos normais.

Redação Catve.com

quarta-feira, 6 de março de 2019

A Paraíba perde um dos seus primeiros profissionais de segurança do trabalho


Por: Eli Almeida

Fomos surpreendidos com uma triste notícia, após um período internado devido complicações em seu estado de saúde, faleceu ontem, (02/03), o companheiro Ariosvaldo Soares Peixoto, técnico de segurança do trabalho, com atuação em diversas empresas na cidade de João Pessoa/PB.

Peixoto iniciou neste segmento ainda na extinta função de supervisor de segurança. Trabalhou nas empresas Pan American, Cimepar, Iplac, Grupo Caviam Fagam, Arnosa, Nortelas, Telebras, Vila Romana, Agroindustria Japungú e na empresa de transporte urbano ETUR.

Ele é autor do primeiro livro do gênero segurança ocupacional, em sua obra “Uma Nova Visão de Segurança – CIPA Qualidade, Produtividade e Segurança”, editora Ideia, destaca sua vivência de três décadas com atuação em empresas e no meio acadêmico.

Tive o prazer de conhecer Peixoto na colação de grau do Segundo Curso Especial Técnico de Segurança do Trabalho, que aconteceu em Campina Grande, em 1997, ministrado pela então Escola Técnica Federal da Paraíba em parceria com o SENAI.

Naquela ocasião Ariosvaldo Soares Peixoto fazia o lançamento do seu livro. Voltei a rever Peixoto na cidade de João Pessoa, sempre tratando de assuntos ligados à segurança do trabalho, ele na época estava coordenando cursos de técnicos de segurança e prestando serviços em algumas empresas.

Nosso setor de engenharia de segurança perde um excelente profissional comprometido com a causa prevencionista, um ser humano do bem.

“Na verdade, fazem parte do meu desejo de contribuir para a melhoria de vida desse nosso povo tão ansioso por um futuro menos penoso. Muitas das propostas que apresentei, consegui colocar em prática, mesmo que em parte ou temporariamente - algumas ficaram se não nas instituições, na mente das pessoas - por isso acredito que valeu a pena meus 30 anos de dedicação à causa prevencionista”, escreveu o técnico de segurança do trabalho e escritor Ariosvaldo Soares Peixoto

Que Jesus o tenha em um bom lugar, que conforte seus familiares. Sentiremos saudades do ilustre companheiro prevencionista.


Por Laercio Silva

Grande Mestre, filósofo célebre que ajudou na minha caminhada (formação prevencionista). 
Docente com base de ação social os princípios adotados pela Organização Mundial da Saúde – OMS o equilíbrio: físico, mental e social.

Lutava para Implantar na nossa cultura, programas e políticas sobre prevenção de acidentes, segurança do trabalho nas escolas, comunidades e nas empresas de um modo geral.

Firmar parcerias para evitar desperdícios e acidentes em todos os níveis, priorizando as políticas preventivas. Tendo como base legal a Constituição Federal nos capítulos II dos Direitos Sociais; e capítulo VI do Meio Ambiente.

Primeiro Inspetor de Segurança do Trabalho formado no Comando Geral do Batalhão de Polícia Militar do Estado da Paraíba    em 1974.

Escritor, lançou dois livros “Uma Nova Visão de Segurança – CIPA Qualidade, Produtividade e Segurança”


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...